sábado, 13 de setembro de 2008

Estar segura

Desde que nascemos projetamos nossa segurança em algum ser; claro que priori, na maioria das vezes, essa segurança é materna ou paterna e com o decorrer do tempo crescemos, damos nossos próprios passos, nos permitimos ousar e sair da redoma.
Um dia a gente se apaixona e ao lado desse outro ser tranferimos toda segurança, antes permitida à família, é como se formasse um elo que ligasse nossas almas, como se um fosse a extensão do outro. É sensacional essa troca, poder confiar em alguém, se sentir segura.
Durante minha juventude, nunca parei para pensar em mim enquanto um ser que também transmitisse essa segurança e hoje é estranho estar nessa posição. Saber que outros seres dependem de você, que seu olhar, seu afago, suas palavras ou simplesmente sua presença pode tranquilizar, motivar , dar segurança a alguém.
Que esse elo de ligação não apenas te protege, mas te faz forte suficiente para ser parte desse esteio.
É tão bom quando estamos em um lugar que nos é estranho e de repente se vê um rosto conhecido, querido...logo sorrimos de felicidade e temos aquela sensação de conforto. O ambiente chega a se modificar, nos sentimos mais à vontade. Essa sensação de conforto, essa alegria se chama segurança.
Não há como não viver junto de outras pessoas, não há como não depender delas. Por mais que queiramos ser auto- suficientes, nem sempre somos suficientes o bastante para nos bastar.
Isso é mostrar que somos humanos e que precisamos de outros para viver!!

Nenhum comentário: