sexta-feira, 5 de setembro de 2008

Niver de irmã

Hoje foi anversário de minha irmã ,do coração, que não vejo a tempo. Não por existir uma distância geográfica entre a gente, ao ponto de impedir uma visita de vez em quando, mas após o falecimento do meu pai ,do coração, houve um afastamento inexplicável, como se tivesse rompido o elo que nos ligava.
O abraço de felicidades, desejos de paz, sucesso e o almejo de que essa data se repita por muitos outros anos foi realizado pelo telefone mesmo.
Vivemos muitos grandes momentos de alegrias juntas, quando a família era maior e éramos, eu criança e ela na transição da adolescência para juventude, onde sabíamos o que se passava na vida uma da outra e levávamos muito tempo papeando..pois é, tempo é uma coisa que de fato não dá para voltar, mas as lembranças ficaram.Hoje somos adultas e com tantos compromissos que esquecemos tantas vezes de nos falar, nem que seja pelo tel...são as oportunidades de nos "sentarmos na janela" como relata o post anterior.

2 comentários:

HoneyBee disse...

Eu sempre penso que algumas pessoas nunca vão embora. Elas sempre estão nas nossas vidas mesmo quando não estão mais por perto.

Tenho uma amiga que foi minha grande parceira de brincadeiras e aventuras. Foi a primeira amizade, como toda a profundidade da palavra, que tive de fato. Eu tinha 7 anos quando a conheci e nosso período de convivência foi de apenas 2 anos.

Mas depois de tanto tempo, separadas por estados de distância, nunca esquecemos uma da outra e nos reencontramos no orkut, posteriormente no msn.

Tem pessoas que passam pelas nossas vidas, mas também tem as que ficam. =)

Maria disse...

É triste ver como o tempo transforma nossos grandes amigos em quase desconhecidos... Não temos mais papo, intimidade... E, se formos pensar, de fato somos pessoas diferentes. Nos tornamos desconhecidos, apesar de um dia termos sido, como você disse, irmãs de coração.

beijos
__________________
Outro blog da Mary