sábado, 4 de abril de 2009

Será que vale a pena ser professor?


Tenho me perguntado isso todos os dias e a agonia está apertando cada vez mais dentro do peito. Por mais que eu ame ser professor, o desgaste emocional, psicológico, social, financeiro e físico está extrapolando.

A escola é fonte sagrada De sacrossanta bebida Bebei todos desta fonte Na primavera da vida Nas Horas Vagas. ( Joaquim Moreira da Silva)

Já foi tempo em que a escola era valorizada, como feito acima, pelo poeta.

Recebemos para trabalhar, no meu caso, 4 horas diários, mas quantos e quantos cadernos, folhas, provas, livros, trabalhinhos, etc. trazemos para casa? Os pais se separam e brigam, isso reflete totalmente em sala de aula. Crianças sem limites, salas hiper lotadas, projetos, dinâmicas, atualidades e eu não posso errar!!!!

A gota d'água, sem dúvida, foi eu ter me conscientizado de que professor não pode errar.

Foi tempo em que professor tinha mérito social, embora não tivesse nos dias atuais, mas que a luta não fosse tão desigual, de repente até valeria a pena.

Aluno é desisnteressado, a culpa é de quem?
Aluno não sabe ler, a culpa é de quem?
Aluno não entrega a atividade de casa, a culpa é de quem?
Aluno é a gressivo ou aprende a chingar, a culpa é de quem? [...]
Pode-se ter várias respostas, mas a responsabilidade pela culpa as via de fato sempre é do professor.

Está sendo muito difícil, mas é chegada a hora de partir, apenas me lamuriar não resolverá mais meu problema...

Apoiarei, sem dúvida,a qualquer profissional apaixonado pela educação, assim como eu sou. Mas hoje eu digo: DESISTO!!


Um comentário:

Anselmo disse...

Oi Andy, nestes tempos que correm a culpa é sempre do Professor, mesmo que não seja, o desgraçado é sempre culpado. Para além de levar trabalho para casa e nunca deixar os problemas à saída da escola, a remuneração já não é grande coisa e, em tempos de “guerra” só o amor à profissão salva os professores…por aí é assim, por cá não anda melhor.
Beijos e óptima semana