sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010



Muitas vezes, melhor dizendo, sempre desejamos alguma mudança em nossa vida, mas nem sempre enfrentamos de frente e tomamos a iniciativa para começar a mudar e a vida como num rompante tem hora que nos obriga a seguir, e assim foi comigo nesse início de 2010.

Tive umas férias muito conturbadas, diferentemente do que eu imaginava que tivesse. Cheia de conflitos externos e internos ( comigo mesma). O aluguel comunitário não foi tão gratificante assim, e apesar dos pesares nem curti muito, mas deu para refletir muito e definir o que de fato quero da vida e meio que como cego em tiroteio ia seguir minha vida rumo a decisão tomada quando recebo a notícia fatídica do desemprego e lá vou outra vez me replanejar.

Não é nada fácil ser demitida, sobretudo de um lugar que te traz apego emocional e em um momento que você está mais segura e tranquila em relação a estabilidade. Ao bem da verdade que em empresa particular essa história não existe.

Pois bem, voltando ao papo inicial, a vida acabou me projetando a encarar as mudanças e como eu não andava nada satisfeita com a sala de aula, irei encarar outras perspectivas no caráter profissional. Não tenho a menor ilusão de que será fácil, mas admito que se faz necessário.

Hoje fui visitar a Lud que estava com crise de hérnia, como é reconfortante poder estar com ela. Sem dúvida uma amiga que carregarei para sempre comigo.

Apesar de ser obrigada a tantas mudanças, ainda não desisti do projeto "minha casa".Pde até ser que demore mais, mas é meu principal objetivo, ou acabarei adoecendo tamanho está sendo o stress por aqui.

Um comentário:

Eutímicas disse...

Mudanças trazem boas novas. Perdemos algumas coisas, mas ganhamos outras muitas. Espero que tudo dê certo! Grande beijo

Josi