segunda-feira, 22 de março de 2010

É humilhante ou não é?

Durante nosso dia-a-dia inúmeras são as nossas sensações, sentimos de tudo. Ódio, amor, pena,desejo, nojo, arrependimento...
Podemos identificar cada uma dessas sensações e até mesmo lidar com elas de forma sábia e madura, mas sem dúvida existe uma sensação que consegue ao mesmo tempo ser sentida por si só e também despertar várias outras, falo sobre a humilhação.
Já me senti humilhada e digo que de todas as sensações em que vivi, não existe nada mais revoltante.
Há muitas maneiras da pessoa se sentir assim, a mais ocorrente é aquela em que você se sente diminuida e impotente. Ainda mais quando isso ocorre em momentos em que estamos fragilizadas por alguma outra situação e quando sabemos que podemos fazer algo diferente ou que (sem soberba) podemos tanto ou mais do que a queles que naquele momento estão em uma posição superior e fazem questão da plateia, de aplausos e de mostrarem que naquele instante é o "manda-chuva".
"Sempre digo que o pior da bofetada é o som. Se fosse possível uma bofetada muda, não haveria ofensa, nem humilhação." (Nelson Rodrigues)

Não resta nenhuma dúvida que humilhação envolve a emoção porque envergonha e diminui o ego.

Tenho passado, ao longo de minha vida, por alguns momentos desses, mas tenho procurado canalizar para um crescimento interior, um amadurecimento. Muitas vezes nós mesmos devemos nos respeitar, nos dar a oportunidade de ousar, e tomar determinadas atitudes e posturas que muitas vezes ficam suprimidas por nós mesmos.

Não quero virar o jogo, pois não desejo assumir esse papel, mas sem dúvida virarei essa página, só preciso reprimir um pouco essa ansiedade e ser mais objetiva.

Nenhum comentário: