segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Felicidade

Ser feliz implica em muitas questões e sinceramente algumas não muito agradáveis...
Mas, por demasiado que seja as barreiras que encontramos para enfrentar, sempre vale a pena.
A quem culpar por não sermos felizes?? A nós mesmos, pois somos responsáveis pelo que somos a partir do momento que assumimos nossa consciência humana.
Ser feliz é fácil, o difícil é termos segurança e a assumirmos sem culpas ou apegos.

sexta-feira, 13 de setembro de 2013

Desencontros

Sou da cultura em que quando perdemos algum objeto e que queremos encontrá-lo recorremos a São Longuinho e combinamos os pulinhos. Não sei se o santo é realmente poderoso ou a minha insistência pela busca do algo perdido era incessante, pois sempre fui feliz em encontrá-los.
Só que hoje não quero falar sobre nenhum objeto perdido, mas em relação aos desencontros da vida.
Nos relacionamos com tantas pessoas durante a vida, por muitas vezes me lembro de algumas delas e nas lembranças de um tempo que não volta mais me pego com saudades.
Saudades daquela amiga que andava de bicicleta comigo pelo bairro...
Saudades daquela amizade que fiz e achei que fosse durar uma vida inteira...
Saudades daquela vizinha que ficava papeando até o guarda passar...
Saudades daquele grupo de amigos da igreja que se esforçaram em me evangelizar...
Saudades daquele garoto que me fez sair da meninice, experimentar o primeiro beijo e viver a dor e o prazer do primeiro amor...
Sim...não devemos viver do passado, mas tenho por ele respeito, pois foi o fundamento de tudo que me tornei. Queria apenas um encontro, alguns encontros e me tornar presente na vida desses que num tempo me fizeram tão bem! 
Tempo que não volta mais...
Tempo bom...

quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Querer ou não querer, eis a questão!

Dizem que querer é poder, e o não querer é o quê? Escolha, situação, conformismo ou apego?
O querer te impulsiona ao objetivo e o não querer te leva à insegurança, a frustração, a enganação, ao silêncio que  implacável e imperdoável.

Então, se não quero eu também posso! Posso não ir, não escolher ou dizer não, fácil falar, mas romper barreiras e deixar de segui um fluxo te leva a escolhas, mudanças e a dúvidas de se realmente não quero.

Não dá pra entender, né? Mas se fosse de fácil compreensão não estaria me perguntando e duvidando se realmente quero. Simplesmente abarcaria a decisão e ponto.

Se onde há fumaça há fogo, onde há dúvidas há um desejo de que seja diferente.